Datalink lança a linha Garage Acoustic: o melhor cabo para instrumento eletroacústico

Datalink lança a linha Garage Acoustic: o melhor cabo para instrumento eletroacústico

Músico Thiago Melo testou o novo cabo em violão e confirma qualidade do produto

 

Embu das Artes (SP), 14 de novembro de 2023 – Neste mês de novembro, a fabricante de cabos e conectores Datalink lança seu mais novo produto da linha de sonorização, o cabo Garage Acoustic, para instrumentos eletroacústicos, destacadamente o violão. Desde 2015 também no mercado de áudio e entretenimento, a marca vem se firmando, na cena musical brasileira, pela alta qualidade e performance dos cabos produzidos, em seu complexo industrial em Embu das Artes, na Grande São Paulo.

A linha Garage Acoustic, ressalta o gerente de vendas e guitarrista Maurício Fernandes, veio para atender à demanda desse público do eletroacústico, que quer entregar o melhor som em suas apresentações e execuções. O eletroacústico é um modelo bem versátil, já que pode contemplar as necessidades do artista tanto no dia a dia quanto no âmbito profissional.

Como observa o guitarrista Thiago Melo, da banda brasileira de hard rock Dr. Sin, que testou os novos cabos, “se você tem o melhor instrumento, o melhor pedal e não usa o mesmo critério na hora de escolher o cabo, tudo pode ser perdido. A música é feita nos detalhes, nas pequenas diferenças”.

Thiago Melo e Maurício Fernandes no estúdio de Robson Stipancovich (da esq. à dir.) na testagem do novo cabo. Crédito: Cristina Harms Camacho.

Ele descreve como foi a experiência na utilização dos cabos Garage Acoustic: “Uma das coisas que percebi de cara foi sentir que as cordas agudas não perdem a propriedade do som, as frequências mais altas não se perdem. Senti mais o som de todas as cordas do violão. O som fica mais completo. É muito difícil você tocar o violão sem pedais e alcançar essa dinâmica. Cabo de qualidade, em resumo.” Confira o teste do músico Thiago Melo aqui.

Foi com o propósito de atender à exigência desse público, que a equipe técnica da Datalink se debruçou no projeto durante mais de sete meses até chegar ao produto, o cabo Garage Acoustic. Segundo o gerente do setor de Produção da empresa, engenheiro Henrique Reis, o projeto mobilizou toda a equipe da área de engenharia. “Fizemos testes práticos e trabalhamos com conceitos elétricos para validação desse projeto”, afirma.

Boom dos eletroacústicos
A ideia de criar a linha Garage Acoustic surgiu das ‘andanças’ do gerente Maurício Fernandes pelo Brasil e, principalmente, em contato direto com artistas dos mais diversos estilos – do rock à MPB. “Atualmente, percebe-se grande procura pelo violão. Ao mesmo tempo, isso cria a necessidade de cabos específicos que atendam às frequências que são diferentes da guitarra e do contrabaixo”, diz.

Atenta a essa tendência, a Datalink entendeu possível desenvolver produtos destinados ao uso específico desse nicho. “Foi uma ideia prontamente abraçada pela diretoria da empresa e, depois do tempo da elaboração do projeto até a fabricação, temos a satisfação de entregar cabos com a mesma qualidade das nossas linhas que já estão no mercado desde 2015”, elogia Fernandes.

Como músico, Maurício Fernandes ressalta que a marca Datalink se consolida, no mercado, em produzir cabos de qualidade para contrabaixo, guitarra e, agora, para o violão eletroacústico. “Lembrando que cada instrumento atua numa faixa de frequência diferente. É possível, claro, utilizar o cabo de guitarra no violão, no contrabaixo etc., por outro lado, pensando em frequências, em som fidedigno, é importante trabalhar com cabos específicos também.”

Teclado e contrabaixo
Se os cabos da Datalink garantem o melhor som de guitarras e contrabaixos, agora eles chegam ao violão e outros instrumentos eletroacústicos. “É um passo que a Datalink dá com muita sabedoria, pois temos know-how na fabricação de cabos de sonorização. E ficamos mais próximos de nichos diferentes da cena musical. Já vou dar até alguns spoilers: a marca já está pensando nos artistas do teclado e já vamos entrar em 2024 com uma linha específica para o contrabaixo, já em fase de teste com as principais referências tecladistas do Brasil. É um projeto aprovadíssimo, um novo sucesso da Datalink com toda a certeza.”

Segundo o gerente de Vendas, a qualidade é inegociável para a Datalink. Com esse propósito, a produção do cabo Garage Acoustic envolveu diversas áreas técnicas da empresa. “No início, foi realmente a ideia, entender a demanda desse nicho de mercado. A etapa seguinte, é a do desenvolvimento do projeto com a área da engenharia e inovação. Projeto feito, passou-se à fase de produção, ou seja, da fabricação do cabo. E tudo devidamente acompanhado pela engenharia para garantir a qualidade do cabo que será entregue ao mercado”, descreve Maurício Fernandes.

Além disso, acrescente, os cabos Garage Acoustic chegam ao mercado com a marca registrada da Datalink, ou seja, um complexo industrial que combina organização, equipe técnica de primeira e motivada, equipamentos modernos, tecnologia de ponta, práticas inovadoras, testagem e uma logística que cumpre prazos em todo o País.

O mercado musical e de entretenimento do País, em 2024, pode esperar, da Datalink, “motivação lá em cima para trazer sempre novidades e inovação. Vejo a Datalink, em 2024, alcançando a liderança nesse mercado tão rigoroso. E conquistar a excelência, também, na comunicação mais direta com o público final, pois os lojistas já conhecem e confiam na marca”, finaliza Maurício Fernandes.

Garage Acoustic por dentro
A linha Garage Acoustic é um produto bem inovador no mercado de áudio atual, no País. A diferenciação de cabos de instrumentos não é muito comum, “por isso, assumimos uma tarefa especial de criar essa linha exclusiva para instrumentos eletroacústicos, notadamente o violão”, diz Henrique Reis.

O teste elétrico, informa o engenheiro, mediu a velocidade de propagação do sinal – que é um elemento elétrico controlado nos cabos de telecomunicações em transmissão de sinal – para se alcançar a menor velocidade para se obter o melhor resultado em termos de som. “O cabo de instrumento eletroacústico tem uma velocidade de propagação menor do que um cabo de guitarra, por exemplo. Geralmente, nossos cabos de instrumentos têm uma velocidade de propagação na faixa de 82%, já o cabo da linha Garage Acoustic está na faixa de 69% de propagação”, explica.

Engenheiro Henrique Reis, da Datalink. Crédito: Cristina Harms Camacho.

Para alcançar essa diferenciação e exclusividade no som, a equipe técnica da Datalink trabalhou “com uma mistura de polímeros de baixa e alta densidade numa proporção exata para se chegar ao timbre do instrumento”, diz o engenheiro.

Outros detalhes destacados pelo gerente de Produção, “são a medida específica do condutor para esse tipo de cabo, a blindagem em cobre – e não em alumínio cobreado que não utilizamos em nenhum dos produtos da Datalink”. Por fim, prossegue ele, o padrão Datalink se completa com o acabamento externo bem bacana, que garante facilidade e segurança no manuseio do cabo para evitar efeitos de memória.

Para Henrique Reis, o lançamento do Garage Acoustic é motivo de muito orgulho, consolidando a Datalink, reconhecidamente uma marca que combina qualidade, performance, segurança e durabilidade. “A Datalink é excelência de ponta a ponta: do projeto, produção à entrega”, exalta o gerente de Produção.

> Confira especificações técnicas e como comprar a nova linha, clicando aqui.

previous arrow
Acoustic (1)
Acoustic (2)
Acoustic (3)
Acoustic (4)
next arrow

Sobre a Datalink
A Datalink é uma das principais fabricantes de cabos coaxiais e conectores e desenvolvedora de sistemas de alta qualidade e performance. Empresa brasileira cujo portfólio de produtos atende a diversos segmentos econômicos e de serviços: agronegócio, automação industrial e predial, automotivo, energia solar, estética, saúde, sonorização, telecomunicações. A história da Datalink mostra a capacidade industrial e a competência da engenharia brasileira. A qualidade, a excelência e a segurança dos seus produtos são a marca da Datalink criada em 1993 e com seu complexo industrial instalado em Embu das Artes (SP). Em 2023, recebeu a certificação de ótima empresa para trabalhar, GPTW (Great Place To Work). Mais informações em
www.afdatalink.com.br.

Informações para a imprensa
Assessoria de Imprensa Datalink
Rosângela Ribeiro Gil
imprensa@afdatalink.com.br

As pessoas são o maior patrimônio da Datalink

As pessoas são o maior patrimônio da Datalink

Empresa conquistou selo de ótima empresa para trabalhar, a certificação internacional GPTW, em julho último

Embu das Artes, 1º de novembro de 2023 – Respeito, reconhecimento, motivação e orgulho. Essas são algumas das palavras mais usadas pelos funcionários para falar da Datalink. A fabricante de cabos coaxiais e conectores, de Embu das Artes (Grande São Paulo), conquistou, neste ano de 2023, o selo mundial Great Place To Work (GPTW) que certifica ótimas empresas para trabalhar. A direção da Datalink orgulha-se da premiação: “Sempre consideramos as pessoas como nosso maior patrimônio. Nunca acreditamos que nossas máquinas modernas produziriam produtos com performance superior se não tivéssemos pessoas motivadas e qualificadas para operá-las adequadamente.”

Ainda segundo a direção da empresa: “Nunca acreditamos que nossos clientes ficariam encantados com nossas entregas se nossa equipe não colocasse paixão no seu trabalho diário. Sendo assim, definimos claramente o que esperamos de cada colaborador na empresa, tratamos todos com respeito, investimos muito em treinamento, incentivamos que as pessoas fujam do convencional e recompensamos quem faz por merecer. Isto colocado, tudo aconteceu naturalmente. Não planejamos obter o selo “Great Place To Work”. Num determinado dia alguém comentou que a Datalink poderia obtê-lo sem dificuldades e assim fizemos.”

A titulação comprova o compromisso permanente da empresa, há 30 anos no mercado brasileiro, em garantir um ambiente de trabalho saudável que promova o bem-estar de todos os envolvidos na produção – do setor administrativo à área fabril – e é celebrada efusivamente pelos colaboradores, dos que têm mais tempo de casa aos mais novos.

Para Adriana das Neves, gerente administrativa do setor de Recursos Humanos (RH), a pesquisa mostrou, de forma fidedigna, o dia a dia na Datalink. “Temos muito orgulho de trabalhar na empresa, porque há uma conjunção entre o objetivo empresarial e a humanização nas relações de trabalho. Buscamos aprimoramentos e melhorias. Ganhamos todos quando há equilíbrio entre o que a empresa quer e o que os colaboradores necessitam”, afirma. 

Maior valor agregado
Para o engenheiro Edson Borges, gerente de Inovação e Tecnologia, a certificação GPTW agrega mais valor “aos nossos produtos ao mostrar que os cabos são fabricados por pessoas que estão felizes e amam o que fazem”. Para ele, não só a qualidade cultural, mas a emocional da equipe é a grande responsável pelo desempenho e a aceitação da empresa num mercado tão competitivo.

A certificação, prossegue Borges, comprova o que “venho acompanhando nos meus 25 anos de Datalink: o melhor lugar para se trabalhar é aquele onde podemos ser nós mesmos, sem ‘máscaras’ ou ‘filtros’. Ou seja, temos dias bons e dias ruins, mas o respeito não tem folga. Por isso, o desejo de estar na empresa sempre é muito grande”.

Programas desenvolvidos
Adriana das Neves endossa a preocupação da direção da Datalink com o bem-estar dos seus colaboradores e da comunidade do seu entorno. “Pensamos que não há crescimento sustentável e orgânico se a empresa não pensar em como pode fazer com que seus colaboradores e o ambiente ao seu redor se desenvolvam também”, observa. Todavia, ela observa que nada vem por acaso e sem esforço. “Há uma convergência do fit cultural da empresa com as expectativas e valores da equipe”, aponta.

Equipe Datalink na área industrial. Crédito: Cristina Harms Camacho.

Para tornar esse desenvolvimento possível, explica a gerente, foram criadas ferramentas, ou seja, programas dentro da empresa, como o Datalink Cuida, cujo foco é a saúde e o bem-estar em geral dos colaboradores. “Promovemos ações de cuidado, reforçamos internamente campanhas nacionais, por exemplo, as de Saúde Mental e as de prevenção do câncer de mama e de próstata – respectivamente, as campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul. A empresa oferece, ainda, assistência psicológica de forma gratuita para todos os seus funcionários.” 

Outro programa importante é o Datalink Educa, que visa o desenvolvimento profissional de seus colaboradores. “A empresa criou um espaço dedicado e equipado com computadores e internet para que os funcionários tenham acesso a cursos e treinamentos tanto com a finalidade corporativa quanto pessoal”, descreve Neves.

A empresa também firmou parceria com o Centro Universitário UniFECAF, de Taboão da Serra, que dá direito ao funcionário da Datalink a uma bolsa de estudo de até 55% de desconto na mensalidade durante todo o curso. 

Ainda ligado ao programa educacional, e visando ao crescimento da comunidade local, a empresa firmou parceria com o CIEE [Centro de Integração Empresa-Escola] para atender a duas escolas da região com o programa Jornada de Matemática, que garante aos alunos acesso a aplicativo que desenvolve de maneira lúdica e divertida o conteúdo programático de matemática pertinente à série cursada.

Leia também
* Porque a Datalink é uma ótima empresa para trabalhar

A certificação: origem
A pesquisa da GPTW foi iniciada, nos anos 1980, pelo jornalista Robert Levering, que costumava cobrir pautas relacionadas ao trabalho e principalmente aos conflitos trabalhistas, nos Estados Unidos. A ideia foi criar mecanismos para diferenciar boas e más empresas nas relações de trabalho.

Em seu trabalho de jornalista, ele percebia que havia muitos colaboradores descontentes com seus empregos, chefes e ambientes de trabalho, mas também que existiam muitas pessoas satisfeitas com suas obrigações dentro dos locais de trabalho. Esse foi o motivo que levou o profissional a se dedicar à montagem de uma consultoria para aprofundar o assunto, surgindo, assim, o Great Place to Work.

Por meio de suas análises, foi possível observar que havia excelentes empresas para se trabalhar e que elas também poderiam ser de qualquer lugar, tamanho e período. Assim como também qualquer uma poderia ser modificada para se tornar um excelente local de trabalho.

O primeiro passo é o questionário online chamado de Trust Index, ou pesquisa de clima organizacional. Após este questionário é gerado um relatório, nele é indicado como os funcionários veem a empresa, dividida em pontos fortes e pontos fracos.

A intenção é desde o princípio observar o que pode ser ajustado, mesmo que o resultado seja positivo a análise será utilizada como instrumento para melhorias contínuas e direcionamento em tomadas de decisões.

Sobre a Datalink
A Datalink é uma das principais fabricantes de cabos coaxiais e conectores e desenvolvedora de sistemas de alta qualidade e performance. Empresa brasileira cujo portfólio de produtos atende a diversos segmentos econômicos e de serviços: agronegócio, automação industrial e predial, automotivo, energia solar, estética, saúde, sonorização, telecomunicações. A história da Datalink mostra a capacidade industrial e a competência da engenharia brasileira. A qualidade, a excelência e a segurança dos seus produtos são a marca da Datalink criada em 1993 e com seu complexo industrial instalado em Embu das Artes (SP). Em 2023, recebeu a certificação de melhor empresa para trabalhar, o título GPTW (Great Place To Work). Mais informações em www.afdatalink.com.br.

Informações para a imprensa
Assessoria de Imprensa Datalink
Rosângela Ribeiro Gil
imprensa@afdatalink.com.br

Datalink firma parceria com CIEE na Jornada de Matemática

Datalink firma parceria com CIEE na Jornada de Matemática

Serão beneficiadas duas escolas de Embu das Artes, na Grande São Paulo, onde a fabricante de cabos e conectores está sediada

Embu das Artes, 24 de outubro de 2023 – Há 30 anos no mercado de cabos coaxiais e conectores, a Datalink cuida dos seus produtos – reconhecidos pela alta performance, qualidade, inovação e durabilidade – e de ações sociais importantes. Em setembro último, a fabricante firmou parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) no Programa Jornada CIEE, cuja missão é oferecer aos estudantes uma experiência diferente, lúdica e que realmente promova engajamento em prol do saber e do conhecimento. As escolas participantes do projeto apadrinhado pela Datalink são as estaduais Aparecida Ferreira Dourado de Carvalho e Maria Auxiliadora, todas de Embu das Artes (SP), onde está o complexo industrial da empresa.

Adriana das Neves, gerente administrativa da empresa, explica que, com a parceria, a Datalink vai apadrinhar turmas de alunos dessas escolas. “Elas [as turmas] estão sendo contempladas com um aplicativo onde o conteúdo programático é trabalhado, em sala de aula, de forma lúdica de forma a aumentar o interesse do aluno e, consequentemente, o desenvolvimento escolar”, destaca.

Adriana das Neves destaca o compromisso da Datalink com a educação. Crédito: Cristina Harms Camacho.

De acordo com o CIEE, o jovem aprende se divertindo, mergulhando de cabeça em uma aventura e, ao mesmo tempo, reforçando o que aprende com o professor em sala de aula. O programa é específico para a disciplina de matemática que, segundo pesquisas, é uma das grandes defasagens dos jovens brasileiros que saem da escola. 

Para Neves, “a matemática, por mais que tenha esse estigma de ser difícil, é fundamental para o desenvolvimento do pensamento racional estruturado e lógico”. Ela prossegue: “A Datalink é uma empresa fundada por dois engenheiros, ou seja, tem a matemática no seu ‘DNA’, por isso, o empenho da empresa em ações sociais na área da educação. Além disso, sabemos da importância da matemática para a formação de bons profissionais. Como não saber matemática na era do mundo digital, da inteligência artificial, dos algoritmos, dos sistemas binários (sistema de numeração)?”

“Os propósitos da Datalink e do CIEE, como o compromisso de potencializar a capacidade dos nossos jovens de raciocinar matematicamente e apreender conhecimentos lógicos para melhorar competências e habilidades, coincidem e selam essa parceria em prol da educação dos estudantes brasileiros”, ressalta Adriana das Neves.

Ela acrescenta que a fabricante acompanhará a aplicação e o desenvolvimento dos programas nas duas escolas apadrinhadas, e que ficam no entorno do complexo industrial da Datalink, em Embu das Artes. “Não é uma ação que está longe da gente, ao contrário, está próxima. Ou seja, faz parte da realidade social em que está inserida a Datalink e também de muitos dos nossos colaboradores que residem na região. Nos sentimos parte dessa realidade também”, observa a gerente administrativa da empresa.

Leia também
* Datalink cria programa de educação para colaboradores
* Educação, inovação e valorização: tripé de sucesso na Datalink

Sobre a Datalink
A Datalink é uma das principais fabricantes de cabos coaxiais e conectores e desenvolvedora de sistemas de alta qualidade e performance. Empresa brasileira cujo portfólio de produtos atende a diversos segmentos econômicos e de serviços: agronegócio, automação industrial e predial, automotivo, energia solar, estética, saúde, sonorização, telecomunicações. A história da Datalink mostra a capacidade industrial e a competência da engenharia brasileira. A qualidade, a excelência e a segurança dos seus produtos são a marca da Datalink criada em 1993 e com seu complexo industrial instalado em Embu das Artes (SP). Em 2023, recebeu a certificação de melhor empresa para trabalhar, o título GPTW (Great Place To Work). Mais informações em www.afdatalink.com.br.

Informações para a imprensa
Assessoria de Imprensa Datalink
Rosângela Ribeiro Gil

imprensa@afdatalink.com.br

Datalink: moderna, organizada e bonita

Datalink: moderna, organizada e bonita

Produtora de cabos coaxiais e conectores, além de projetos especiais, está há 30 anos no mercado

Embu das Artes, 26 de setembro de 2023 – A Datalink – fabricante brasileira de cabos, conectores e sistemas, há 30 anos no mercado, localizada em Embu das Artes (SP) – acaba de lançar seu novo vídeo institucional realizado pela produtora audiovisual Time Riding, da capital paulista, numa concepção diferente que traz muito dinamismo para mostrar como uma empresa de cabos pode ser organizada e bonita.

O vídeo possui apenas dois minutos, mas consegue transmitir a mensagem da marca, a qualidade, por meio de uma filmagem dinâmica e objetiva. “Optamos realmente por um modelo alternativo sem narração formal e sem apresentar uma história linear com muitos dados e informações. O objetivo realmente era um vídeo fácil e empático”, explica Cristina Harms Camacho, coordenadora de Marketing da Datalink.

Heitor Teles, Dan Reis e Cristina Harms Camacho durante as filmagens do vídeo. Crédito: Time Riding.

O publicitário Dan Reis, diretor e fundador da Time Riding, que está há 17 anos no mercado, observa que o novo vídeo da Datalink nasce com essa concepção de não contar a história da empresa nem os produtos finais que ela produz. “Ele [o vídeo] foi todo baseado em mostrar a grandiosidade de sua linha de produção e a qualidade de sua fabricação em geral. Então foi bem fácil para nós utilizar apenas as imagens reais de um espaço limpo, moderno e com funcionários que literalmente vestem a camisa”, explica o especialista.

Para esse formato, Reis sugeriu utilizar imagens “feitas em um voo com drone FPV [First-person view], que por ser pequeno e ágil, pode passar por espaços estreitos, proporcionando ângulos surpreendentes”. Mas como ele mesmo faz questão de ressaltar, um trabalho que só poderia ser possível com “um piloto experiente e habilidoso”. É aí, como ele mesmo diz, “que entra o Heitor [Teles] na história”.

De hobby à profissão
Heitor Teles, engenheiro de produção formado pelo Instituto Federal de São Paulo, participa de corridas de drones, as Drone Racing, desde 2016, quando ganhou a volta mais rápida em torneio realizado na Califórnia (EUA). Desde então, Teles já participou de corridas no México, quando ficou em terceiro lugar no torneio latino-americano, em 2017, e alcançou outras conquistas em campeonatos na Turquia, Coreia do Sul, Brasil entre outros países.

Teles diz que a pilotagem de veículos aéreos não tripulados entrou em sua vida como hobby, por volta do ano de 2015. “Comecei montando o meu drone. Logo de cara comecei a pilotar num estilo diferente, que se chama FPV. Então, montei meu drone do jeito mais rústico possível, economizando nas peças, até porque tinha acabado de deixar meu primeiro emprego na minha área de formação, que é engenharia”, lembra.

First-person view
O estilo de pilotagem FPV é quando se coloca uma câmera dentro da pequena aeronave e utiliza-se óculos que acompanham a filmagem ao vivo da câmera colocada no drone. Isso permite que o piloto veja o que o quadricóptero está vendo e também torna mais fácil evitar obstáculos do que a linha de visão permite.

Heitor Teles na pilotagem do drone na fábrica da Datalink, em Embu das Artes. Crédito: Time Riding.

A pilotagem de drones virou sua profissão entre os anos de 2018 e 2019, atendendo ao mercado audiovisual – publicidade, longas-metragens e séries. Heitor Teles faz questão de destacar que “somos pioneiros em voar câmeras grandes aqui no Brasil, da GoPro, câmera principal do FPV, até às câmeras de cinema Red Komodo ou Blackmage 4k e 6k”. A utilização de equipamentos mais sofisticados, fez com que Teles participasse de grandes projetos, como a série “DNA do Crime”, original da Netflix que vai ser lançada ainda este ano e a quarta temporada da série “Arcanjo Renegado”, original do Globoplay, entre outros.

Take único
Segundo Teles, o grande diferencial do trabalho com a Datalink foi fazer a filmagem num só take. “Todos os processos que o drone passou no tour que fizemos na empresa, desde o momento em que estamos lá em cima filmando os acessos à empresa, pelo Rodoanel [Governador Mário Covas] e pela [rodovia] Régis [Bittencourt], inserções das etapas da fabricação, o galpão de carga e descarga e finalizando do alto mostrando a fachada da empresa”, explana. Dan Reis reforça: “Trabalhamos com um vídeo inteiro gravado em plano-sequência, ou seja, sem cortes.”

Take
Quer dizer “tomada”, ou seja, tudo que é registrado pela câmera desde o momento em que ela é ligada (
Rec) até o momento em que ela é desligada (Stop ou pause).

O diretor da Time Riding diz que após assistirem à primeira versão do vídeo, “a equipe da Datalink gostou tanto que decidiu incrementar o material, inserindo detalhes de sua produção, e transformando o vídeo em um novo vídeo institucional, de fato, misturando a experiência FPV com detalhes que mostram a qualidade de sua produção. Todo processo foi feito de forma bastante colaborativa entre a área de comunicação da empresa, os diretores e nós da produtora”, descreve.

O piloto profissional Heitor Teles reforça que antes das filmagens, ele e a equipe da Time Riding fizeram uma espécie de “reconhecimento” da fábrica. “Andamos em todas as áreas, conversamos com as pessoas”, informa.

De acordo com Dan Reis, o desafio maior na parte final da produção do vídeo, ou seja, na edição, foi garantir “a sincronização da velocidade do voo do drone com a música, para criar momentos de mais impacto, fazendo o vídeo ser dinâmico, e assim passar a impressão de que ele é mais curto do que parece”.

Já o desafio nas filmagens do drone, segundo o piloto profissional Heitor Teles, gravando-se num take apenas, foi não repetir caminhos, girar a câmera o menos possível para não desorientar quem está assistindo ao vídeo e ter uma lógica sequencial do processo produtivo. “Fizemos isso passando pelos escritórios, na parte administrativa, saímos por uma janela para mostrar a fábrica, passando por todo o maquinário e saímos de novo para finalizar com a fachada da empresa”, pontua.

Contar história real
O resultado, comemora a coordenadora de Marketing da Datalink, Cristina Harms Camacho, foi incrível: “Queríamos realmente criar essa sensação de que uma empresa que fabrica cabos coaxiais para diversas finalidades – da automação industrial à sonorização –, que mexe com diversos tipos de metal, como o cobre, que vem em bobinas grandes, pode ser bonita, organizada e limpa.”

Para o diretor da Time Riding, é preferível contar histórias reais do que inventá-las. Ele elogia: “No caso da Datalink, a matéria prima deles é uma fábrica limpa, moderna, iluminada e com funcionários bastante colaborativos. Tudo isso facilitou nosso trabalho.”

É o segundo vídeo que a Datalink faz com a Time Riding. O primeiro, lembra Camacho, foi em 2021 e já deu muito certo. “Como de lá para cá, a empresa adquiriu novos equipamentos, modernizou ainda mais a produção, ganhou em produtividade e conquistou novos clientes, nada mais justo do que mostrarmos toda essa evolução. Mas, desta vez, queríamos mostrar de forma diferente. Ou seja, sem mostrar tantos os detalhes, mas causar impacto mostrando a grandiosidade, organização e beleza de uma fábrica que produz cabos de excelência e qualidade para todo o Brasil e para projetos internacionais”, diz Camacho.

 

Assista ao vídeo, a seguir

Na Datalink, a satisfação do cliente sempre está em primeiro lugar

Na Datalink, a satisfação do cliente sempre está em primeiro lugar

Dia do Cliente é o dia daqueles que acreditam no trabalho e confiam nos produtos e serviços oferecidos pela Datalink

Embu das Artes (SP), 14 de setembro de 2023 – O Dia do Cliente é comemorado em 15 de setembro no Brasil. A data existe desde 2003, quando foi criada pelo empresário João Carlos Rego, no Rio Grande do Sul, para celebrar e estreitar o relacionamento entre consumidores e empresas. É com esse objetivo que o setor de Vendas da Datalink – fabricante de cabos, conectores e sistemas, sediada em Embu das Artes (SP) – desenvolve seu trabalho. “Temos uma estrutura comercial muito eficiente, pois todos trabalhamos com o mesmo objetivo, a satisfação dos nossos clientes”, destaca a gerente de Vendas, Elizangela das Neves.

Para alcançar essa relação baseada na confiança, diz ela, a Datalink conta com uma equipe de vendedores técnicos, que conhecem os produtos e suas aplicações. “Procuramos sempre dar cursos técnicos sobre os nossos produtos, para que todos aprendam, estejam capacitados a responder às dúvidas dos clientes, consigam evoluir e crescer profissionalmente. Além de ter treinamentos diretamente na fábrica para saber como se produz um cabo”, informa a gerente.

Os valores que norteiam o relacionamento com o cliente e que fazem a boa diferença na hora da fidelização, avalia Elizangela, são “confiança, honestidade, a qualidade dos produtos que oferecemos e a satisfação dos nossos clientes. É um modelo de relação empresa e cliente imbatível”, define.

Para a satisfação do cliente, Elizangela relaciona cumprir rigorosamente o que se promete na hora da venda, por exemplo: prazo de entrega e configuração do produto. “O cliente sempre comprará e receberá exatamente o que solicitou, não há enganação”, ressalta a gerente, acrescentando, “temos uma marca a zelar, que está há mais de 30 anos no mercado”.

A Datalink, prossegue ela, é uma empresa 100% nacional que fabrica cabos de alta qualidade e está sempre em busca de aperfeiçoamento, “temos seriedade em tudo aquilo que nos propomos a fazer. Contamos, ainda, com uma área técnica altamente qualificada que desenvolve produtos e projetos específicos, inclusive, até para nacionalizar produtos que hoje são importados, com confiança, honestidade, qualidade, prazo de entrega reduzido e atendimento personalizado”.

Elizangela das Neves: “Queremos garantir a melhor experiência do consumidor na Datalink.” Crédito: Cristina Harms Camacho.

Entender a necessidade do cliente
A gerente de Vendas da Datalink observa que “queremos encantar nossos clientes com a experiência de compra e entendemos que a parceria é boa quando é vantajosa para todos os envolvidos. Sempre nos colocamos no lugar dos nossos clientes para entender as suas necessidades e propor soluções que ajudem a resolver seus problemas e/ou suas dificuldades”.

Elizangela das Neves explica, ainda, que muitos clientes têm dúvidas sobre qual produto utilizar ou se aquele produto vai atender ao seu projeto, “por isso, a nossa equipe trabalha as necessidades apresentadas para elaborar o projeto baseado no que ele precisa”. Ela acrescenta: “As dúvidas que surgem, nesse contato com a área de Vendas, mudam de cliente para cliente, pois cada um possui uma necessidade de aplicação e atendimento diferente. Aqui, reafirmo, entra o preparo técnico e profissional da nossa equipe para atender da melhor forma possível o cliente.”

A Gerência de Vendas da Datalink atende a todo tipo de demanda na área de cabos, conectores e sistemas. “Tem cliente que já sabe quais os produtos que precisa e até suas nomenclaturas; outros, todavia, nos procuram apenas com a necessidade, mas sem saber ainda qual o produto”, informa Elizangela das Neves.

Nessa hora, a equipe de vendedores da empresa procura entender melhor a sua aplicação e o que ele considera importante que o cabo atenda, com essas informações. “Realizamos quase que uma consultoria, nesse caso, pois conversamos com a área de Engenharia da Datalink sobre o projeto demandado por aquele cliente especificamente. O contato com a engenharia ocorre principalmente quando temos cabos que são para aplicações especiais e precisam de desenvolvimento”, explica. E acrescenta: “Queremos garantir a melhor experiência do consumidor na Datalink.”

Elizangela das Neves lembra, ainda, que na crise pandêmica da Covid-19, em 2020, a Datalink conseguiu inovar e manter a melhor relação com o consumidor. “Criamos o tour virtual. Como o cliente não podia vir até à fábrica, em Embu das Artes, a Datalink foi até ele. Abrimos a nossa fábrica, em detalhes, nessa visita online ao vivo”, destaca. 

Pós-venda
A venda não se encerra com a compra do cliente, garante a gerente Elizangela das Neves, “a nossa equipe vai fazer o acompanhamento da entrega do produto para ter certeza de que o cliente recebeu o material dentro da sua expectativa e necessidade”. 

Confira nossos preços, condições e produtos, entrando em contato com a gente, clicando aqui

 

Datalink amplia laboratório de qualidade

Datalink amplia laboratório de qualidade

Duas novas máquinas foram desenvolvidas pela equipe da empresa para atender a grandes clientes

 

Embu das Artes (SP), 27 de julho de 2023 – A Datalink produz e comercializa cabos coaxiais e conectores há 30 anos para o mercado nacional, e internacional também, com alta performance. Para alcançar qualidade já comprovada pelo mercado, a empresa realiza ensaios de matéria-prima e cabos em seu laboratório que, nos últimos três meses, passou por uma ampla modernização, além de contar com profissionais qualificados. A ação visa garantir a excelência da marca para agregar valor à missão de oferecer produtos certificados, mostrando a preocupação da empresa com o cliente.

Para a Datalink, a qualidade total dos seus cabos só é possível se ela for decorrente do processo, que faz parte da própria cultura organizacional explicitada no slogan “Qualidade não se controla, qualidade se fabrica”.

A missão de entregar produtos que oferecem eficácia, durabilidade e segurança só é possível com a postura intransigente da empresa, adotada desde o início da sua criação, em 1993, de utilizar apenas matéria-prima homologada e seguir as normas técnicas durante o processo fabril. Todas as etapas passam pela rigorosidade científica no Laboratório de Qualidade da empresa, que é, inclusive, apresentada aos clientes.

Como explica Vitor Chaves, técnico do Departamento de Qualidade da Datalink, o laboratório realiza testes e ensaios de cabos e fios de cobre nu seguindo as recomendações técnicas vigentes no País. Para alcançar mais sucesso e assertividade, diz, “ampliamos nosso espaço para a instalação de duas novas máquinas de ensaio físico de ciclo e de resistência para cabos utilizados em torres de energia eólica e de audiovisual e energia, especialmente para dois grandes clientes”. As máquinas foram desenvolvidas pela própria equipe de engenharia da empresa, informa Vitor Chaves.

A Datalink realiza ensaios dos tipos físico, químico, magnético e elétrico para atender às necessidades dos clientes de segmentos econômicos diversos – telecomunicações, agronegócio, automação industrial e predial, sonorização, saúde e estética, entre outros – e para a utilização em motores, sistemas de segurança e de dados, material elétrico, audiovisual etc.

Um dos equipamentos desenvolvidos segue a Norma IEC 60793-1-46 utilizado para testar a força e a resistência de material à movimentação, em rotação, no próprio eixo, de 360 graus. “Ele simula o cabo dentro da torre de energia eólica para identificar o número de ciclos completos [360 graus no próprio eixo] que aquele cabo pode alcançar, chegando até 36 mil ciclos”, explica Vitor Chaves. A outra máquina criada pela equipe da empresa é a CET-01 Cable Endurance que faz ensaios para medir o ciclo de uso de um cabo, e está de acordo com a Norma Mercosur (NM) 287-2:2003.

O laboratório praticamente é onde tudo começa e termina na fabricação de cabos da empresa. “No início, para testarmos se a matéria-prima tem a qualidade e especificações técnicas exigidas, e, ao final, com o cabo já pronto para nos certificarmos que vamos entregar ao cliente a qualidade Datalink, ou seja, durabilidade e alta performance”, atesta Chaves.

Alguns dos requisitos normativos seguidos nas testagens do laboratório são as NBR 5111, NBR 5349, NBR 6524, NBR 6810, NBR 6814 e NBR 6815, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). “Para cada teste, existem normas e requisitos técnicos específicos, todos observados pela nossa equipe durante os ensaios no nosso laboratório”, acrescenta o técnico de qualidade.

Ainda nos ensaios físicos, informa Chaves, “testamos o quanto o cabo aguenta no esforço de tração, ou seja, o equipamento aplica um esforço na mesma direção e sentido contrário que leva o objeto a sofrer um alongamento na direção em que o esforço é aplicado”, relata Chaves. Nessa testagem específica, o esforço de tração aplicado pode ir até 500 quilos.

Ensaios elétricos
Para a testagem de cabos para telecomunicações, o laboratório da Datalink segue, entre outros, o requisito normativo da NBR 9146/2012, de tensão elétrica aplicada.

O ensaio, como explica o engenheiro Edson Borges, gerente de Tecnologia e Inovação da Datalink, é realizado por meio de um analisador vetorial de rede [conhecido pela sigla em inglês VNA, que significa Network Vector Analyzer; e em português Analisador de Rede Vetorial], que vai medir as grandezas do cabo, saber se as características elétricas estão de acordo com o projeto a que se destina.

O técnico de qualidade Vitor Chaves em frente à máquina Network Vector Analyzer (VNA). Fotos: Hailton Gabriel Souza Silva.

O VNA é um sistema de teste que possibilita caracterizar o desempenho de dispositivos e microondas em termos de parâmetros de espalhamento de rede. “A testagem que fazemos no nosso laboratório é para cabos de audiolink, de rede e de som. Auferimos a impedância e capacitância dos cabos para medir o quanto vai perder, em termos de flexão, atenuação e reflexão (perda de retorno), ao longo do caminho. Enfim, vamos medir essas grandezas”, reforça o engenheiro.

Nos cabos de sinais, o tipo profibus, muito presentes em processos de automação industrial, prossegue Borges, o laboratório da Datalink faz ensaios para testagem de indutância, capacitância e resistência. “A testagem sempre leva em conta qual a utilização e necessidade do cabo”, ressalta o engenheiro.

O cabo profibus é voltado à transmissão de dados de protocolo de comunicação aberto com alta velocidade, aplicado a sistemas de automação industrial. “Este tipo de cabo se destaca por suportar grande tráfego de informações e em distâncias diferentes, por isso a testagem na área de medição de grandezas”, completa.

As informações obtidas com a aplicação do Analisador de Rede Vetorial são utilizadas para afiançar que o circuito de radiofrequência (RF) seja otimizado para fornecer o máximo desempenho.

No ensaio químico, diz o técnico de qualidade Vitor Chaves, o cobre será revestido por uma camada de estanho (metal não-ferroso) para impedir que o cobre oxide em contato com o alumínio. Neste quesito, o laboratório da Datalink segue o requisito técnico determinado pela norma NBR 5111, da ABNT, que especifica os requisitos do cobre para aplicações como condutor elétrico, quanto à condutividade elétrica, pureza, resistência elétrica etc.

Cálculos de insumo
O laboratório da Datalink, que segue todos os requisitos normativos, ainda tem balança analítica e o plastômetro, os testes e análise permitem comparar o índice de fluidez e densidade de material termoplástico no estado de fusão sob condições de pressão e viscosidade da matéria-prima a ser utilizada na fabricação dos cabos da marca.

O engenheiro Edson Borges explica o equipamento desenvolvido pela empresa que faz ensaios de ciclos de resistência de cabos utilizados em grandes equipamentos, como em torres de energia eólica.

Edson Borges explica que a correção no cálculo, nessas dimensões, do insumo que será empregado na fabricação dos cabos da marca é para garantir a especificação técnica do cabo para evitar problemas e incompatibilidades. “Nesse ponto, destaco que tanto a empresa não coloca matéria-prima a mais, para não ter prejuízos, claro, mas, principalmente, de jeito nenhum coloca a menos para não ser incorreta com o cliente”, endossa o gerente de Tecnologia e Inovação da Datalink.

Para a melhor precisão no material utilizado, o laboratório ainda utiliza o micrômetro que mede o diâmetro do insumo com controle centesimal e o paquímetro, instrumento que mede em centímetro das dimensões lineares internas, externas e de profundidade.

E, ainda, tem o ensaio de envelhecimento, que mede, numa estufa, o chamado “temperismo”, que significa a fadiga que o material suporta sob o efeito de altas temperaturas. “A estufa vai simular a ação do tempo na matéria-prima. Aqui fechamos o ciclo de testagem do fio de cobre nu. Todos esses ensaios atestam a qualidade da matéria-prima para evitar qualquer tipo de problema no processo industrial dos cabos”, completa Edson Borges.

Laboratório de Qualidade da Datalink
Fotos: Hailton Gabriel Souza Silva.

previous arrow
Máquina para teste de torção - CTT
Máquina de tração - Dinamômetro
Equipamento para teste de ciclos - CET
Painel equipamento para teste de ciclos - CET
Estufa
Torno
Máquina de tração - Dinamômetro 2
Teste do cobre
Paquímetro
Medidor De Fluidez de Polímeros - Plastômetro
Balança analíticas
Network Analyzer
Ponte LCR
Ambiente do laboratório
Ambiente do laboratório
Engenheiro Edson borges explicando sobre o equipamento
 
next arrow